capa

Moro disse que o presidente queria ter acesso a relatórios de inteligência.

Diretores da Polícia Federal afirmam que há crime nas ações de Jair Bolsonaro, que exonerou na manhã desta sexta (24) o diretor-geral do órgão, Maurício Valeixo.

Sergio Moro (Justiça) disse em pronunciamento que o presidente queria ter acesso a relatórios de inteligência e relatou estar preocupado com inquéritos no Supremo Tribunal Federal. Moro também disse que não assinou nenhum documento de exoneração de Valeixo —no Diário Oficial da União, a exoneração conta com a assinatura eletrônica de Moro.

De acordo com informações obtidas pelo Painel, a investigação que Bolsonaro demonstrou maior receio a Moro foi de fake news, que está com Alexandre de Moraes.