capa

Em entrevista à Agência EFE nesta segunda-feira direto de Madri, Jorge Sampaoli explicou o que não deu certo para a sua permanência no Santos e nem para o acerto com o Palmeiras.

O técnico argentino ficou em 2019 no clube da Vila Belmiro, foi vice-campeão brasileiro, mas brigou com o presidente José Carlos Peres e pediu demissão na semana passada.

Depois, já em férias, negociou para assumir o time alviverde, mas suas exigências não foram aceitas, e Vanderlei Luxemburgo é o novo treinador no Palestra Itália.

“Tivemos um grande ano, no qual conseguimos a maior quantidade de pontos da história do clube, onde saímos vice-campeões e estivemos muito perto de conquistar o objetivo. Nos classificamos para a Libertadores".

"Para o próximo ano, o clube tinha uma transição que não permitia fazer coisas importantes na Libertadores ou no torneio local e decidimos cortar o vínculo. O melhor para o Santos e para mim, ao não coincidir com as posturas, é que cada um siga seu caminho”, disse Sampaoli, premiado pelo jornal espanhol Sport pela vivência no Brasil.

Sobre o Palmeiras, o técnico usou o Flamengo como exemplo para explicar a negociação: “Não chegamos a um acordo nem no econômico nem nas posturas esportivas. O Brasil é um país muito exigente, o Flamengo se distanciou muito em referência aos demais, e minha ideia de ficar no país era para brigar pelo Brasileiro. Não deu certo”.