capa

Aquilo foi uma temeridade absoluta. Mas só de correr o risco disso, para mim, foi um negócio estúpido. Cruzeiro não poderia ter se sujeitado a um risco desse. E quanto ao contrato com ele, se foi bem feito ou mal feito, eu não vou entrar no mérito. Mas todos os contratos que foram feitos no Cruzeiro, eu faria diferente. Sem entrar no mérito de quem os fez – opinou Perrella ao Globoesporte.com

– É muito fácil você fazer qualquer tipo de comentário depois de situação concretizada. Digo que, se o Fred tivesse nos melhores momentos dele, você não me faria essa pergunta. Não quero entrar no mérito se foi mal negociado ou bem negociado. Se ele vale o que recebe ou não vale. Eu vejo o futebol diferente.

Perrella, por sua vez, acredita que a Justiça do Trabalho dará razão a Fred, não vendo a necessidade do pagamento da multa. No cenário atual, a Justiça desportiva e a comum deram ganho de causa ao Atlético.

– Acredito que o Cruzeiro tem condição de reverter, porque aquilo, para mim, é uma causa leonina. Está nas esferas esportivas. Eu acredito que, quando isso for para a Justiça do Trabalho, eles vão ter outra visão da coisa. Não se pode impedir que uma pessoa trabalhe em qualquer outro lugar. Ainda que coloque no contrato. Porque você, às vezes, assina um contrato baseado na pressão. Por isso, existe a Justiça. Eu não acredito que o Cruzeiro vá ter que pagar isso. Eu acho que a gente vai conseguir reverter essa situação.